sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

Poema


O poema, este jeito
da alma sorrir,
de fazer o outro sentir
sem mesmo sabê-lo

Esta linguagem
sussurrante
que de outra
maneira é tão inefável

Se a beleza existe
é por que
o poeta inventa.

O silêncio
grita no verso
do poema quando
se quer dizer
que Deus existe.

Pois a existência
de Deus é um verso
circunscrito
sempre pronto
a falar ao coração.

E saber
que o verbo
que se fez carne
é o verbo
do poema de Deus.

O poema
é um falar
baixo
que só ouve
quem entende
de amar.

Quando a guerra existe
ele some
sem deixar vestígios.
É o asco sentido
diante das
impurezas do ódio
dos homens

Ele regressa
quando a luz
da paz ascende
na vida

2 comentários:

  1. Olá, seu blog foi indicado pela minha amiga Angela, lindo poema, um abraço

    ResponderExcluir